Home
Nossas Instalações
Escola C.A.S.A.
Aeromodelismo VCC
Categorias do VCC
Aeeromodelo de Sócios
Notícias
Diretoria
Clube Filiado
Clube Cadastrado
Provas Oficiais
Resultado de Provas
Eventos do Clube
Download de Plantas
Dicionário de Modelismo
Manuais Técnicos
Dicas Úteis
Madeira Balsa
Perguntas Frequentes
Onde Estamos
C.A.S.A. na Mídia
Parcerias
Nossas Homenagens
Simulador U Control - Sim 1
Links de Lojas
Divirta-se
Contate-nos
Wallpaper
 
 

O que faz a vela de nossos aeromodelos não se apagar mesmo quando desconectamos o ni-starter?

É que as velas têm em seus filamentos uma finíssima camada de platina que ao serem aquecidas liberam moléculas que agem na combustão do metanol. Isso leva a concluirmos que a vela tem uma “vida útil”, pois com o passar do tempo ela não mais dará conta de ajudar na queima, pois a platina um dia se acaba.

Mesmo parecendo que o filamento esteja intacto, será hora de trocar a vela.
Quando ligamos a bateria (ni-starter), a vela incandesce e o motor dá a partida. Com alguns segundos de funcionamento, a temperatura interna é suficiente para vaporizar o metanol e manter a vela acesa. Assim, o motor não apaga quando se desconecta o ni-starter.

O que determina se uma vela é quente ou fria é a facilidade ou dificuldade com que a vela se mantém incandescente de acordo com a temperatura da câmara de combustão.

Fabricantes de velas podem ter suas linhas de velas quentes e frias. O fabricante “X” pode ter uma vela que ele classifique como quente, mas ela pode ser mais fria em relação à vela do fabricante “Y”.

COMO ESCOLHER A VELA CERTA

Tenhamos em mãos os dois tipos de vela. Com uma, notamos que o motor funciona bem. Então, vamos colocar a outra e perceberemos que é preciso fechar a agulha do carburador para que o motor volte a funcionar bem novamente.

Se fechamos a agulha é sinal de que diminuímos a quantidade de combustível em relação à quantidade de ar na câmara de combustão a chamada mistura pobre.

Fechando-se a agulha há um aumento da temperatura, pois o combustível dos modelos carrega em si o próprio lubrificante. Então, é isso que determina quando uma vela é classificada como fria em relação à outra.

Porque ela necessita de calor adicional proporcionado pelo empobrecimento da mistura para se manter incandescente.
Isso tudo nos exige testar os diferentes tipos de velas para que se possa chegar à vela mais adequada ao nosso aeromodelo.

É importante ressaltar que motores pipados pedem velas frias e motores sem pipa exigem velas menos frias ou médias. Motores mais comuns pedem velas médias ou quentes.

Mas há outros fatores que influenciam na escolha certa de uma vela, por exemplo: a hélice utilizada, os tempos de abertura das janelas de admissão e exaustão, temperatura ambiente, entre outros. Outro ponto importante: taxa de compressão. Quanto menor ela for, mais quente deverá ser a vela.

 

<<< Voltar